Maternidade compartilhada

Ao compartilharmos o desejo pela sua chegada
já preparamos a sua doce morada
Ao compartilharmos os planos para te receber
nunca pensamos em te perder
Ao compartilharmos o sonho pela maternidade
sinto-me mãe de verdade
Ao compartilharmos a sua presença
não vislumbramos a possibilidade da sua ausência
Ao compartilharmos o quanto sonhamos com o dia ao te embalar
é impossível não te amar
Ao compartilharmos todas as mudanças advindas com a gravidez
sinto que finalmente chegou a minha vez
Ao compartilharmos as transformações corporais, hormonais e emocionais
percebo o quanto este momento é especial, sobrenatural, fora do normal
No entanto, como compartilhar a interrupção de uma vida,
que está sendo sentida, vivida e querida?!
Como compartilhar todo o amor,
transformado em dor?!
Como compartilhar o sonho interrompido,
as noites mal dormidas?!
Como compartilhar o sentimento de angústia
pelos planos a sucumbir?!
Como compartilhar a nossa descrença na vida, no homem,
a falta de desejo pelo que está por vir?!
É melhor o silêncio e a solidão?!
Mas foi tudo compartilhado outrora,
e agora?!